GLEE – Grilled Cheesus (2×03)

Comovente o 3º episódio de Glee nessa temporada atual. Falando de fé por diversos pontos de vista a série conseguiu com certa delicadeza e sutileza abordar um tema tão complexo e profundo. Novamente em mais um episódio cheio de pontos baixos e altos, a série conseguiu mesmo assim comover e alegrar ao mesmo tempo.

 

Primeiramente vamos aos erros do episódio, no caso, Finn. Sem dúvida ele e Rachel tem protagonizado as histórias mais chatas e entediantes nessa temporada 2, não sei porque cargas d´água  a série insiste em sempre criar algum tema ou para Rachel ou para Finn, que de longe atrapalha o bom rendimento do episódio quando decidem se focar e criar histórias para personagens secundários. A trama de Finn, de ver a imagem de Jesus no pão foi desagradável e despropositada, quando num episódio envolvendo o pai de Kurt, Finn poderia ter sido melhor aproveitado e fazer parte de todo o drama que envolveu Kurt.

 

Falando em fé, a série soube bem mostrar o frágil lado humano. Alguns dotados de uma fé verdadeira e pura como Mercedes e outros perdidos devido as adversidades da vida, como Kurt. No episódio onde  o pai de Kurt sofre um ataque cardíaco, vimos toda a dor que Kurt passou aos longos de seus 42 minutos e também vimos a dificuldade em crer em Deus ou ter esperanças quando ele se sentia abandonado pelo mesmo. Achei interessante e corajoso a série pegar justamente seu personagem gay criando mais adversidades a sua imagem ao coloca-lo como uma pessoa sem fé que  não acredita em Deus. A série ainda foi mais longe ao abordar toda a questão de exclusão, a qual faz parte do contexto gay. Kurt cita que não é aceito em igrejas, como um bom exemplo de exclusão. E dessa forma pontua o fator de não ter fé.

 

Da mesma maneira vemos Quinn, Mercedes e Tina, todos rezando e pedindo para o pai de Kurt melhorar. Todas a sua maneira tentam encontrar uma forma de ajudar Kurt, o qual a principio rejeita e afasta qualquer ajuda, ainda mais se envolver fé.

 

E isso não deixa de ser real. Por muitas vezes algumas pessoas se fecham devido a seus problemas e pouco permitem a proximidade dos outros, até que seu corpo não agüenta mais o fardo e finalmente aceita a mão de alguém.

 

Fora isso o episódio foi extremamente comovente nas cenas de Kurt, em toda sua dor e solidão. As musicas foram excelentes – os solos de Kurt e Mercedes foram lindos. Aliás o garoto para interpretar Kurt quando criança era a cara do Kurt. E a musica final não poderia ter sido mais perfeita, o que me lembrou muito Joan of Arcádia, série que abordava essa questão religiosa.

 

De desnecessário as cenas irritantes de Rachel e Finn – inclusive a do parque com ela cantando (salva-se aqui a conclusão da cena com eles no quarto do hospital que foi muito tocante). No mais boas cenas com Sue e linda cena final dela com sua irmã assim como a boa cena de conclusão onde Sue aceita os meninos cantando músicas de motivação de fé, mostrando que apesar de você ter fé ou não, em algum momento as diferenças dão uma trégua e aceitam a realidade de crença de cada um e passam a respeita isso. Assim como Kurt a sua maneira encontrou a sua fé…

Explore posts in the same categories: Glee

Tags: , ,

You can comment below, or link to this permanent URL from your own site.

One Comment em “GLEE – Grilled Cheesus (2×03)”

  1. daniel Says:

    Achei a critica e descrição do episodio perfeita. Mas uma coisa: o pai de Kurt sofre o ataque cardiaco, mas não tem volta? não foi só um susto? to besta aqui…


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: