GLEE – HOME (1X16)

Beautiful! A música traduziu todo o episódio de Glee. Que episódio lindo, comovente! Assim que eu gosto da série, quando ela aprofunda sensações e sentimentos e mostra do que é capaz. Home, o que é home ou o que é lar para nós? É apenas um espaço físico onde nos habituamos a uma rotina? É uma espécie de local sagrado, onde fazemos nossos rituais diários? Ou é algo mais profundo, mais íntimo. Algo que revela nossos sonhos, medos e esperanças. Home, o 16º falou um pouco disso. De sentirmos-nos bem, seja em nosso lar, seja com alguém do nosso lado, seja com nosso corpo, mente, enfim, simplesmente aceitar-se. Não mudar por ninguém, não se satisfazer com pouco quando podemos e merecemos mais. Saber olhar para nosso coração, ouvi-lo, aprender com as diferenças, estar preparado para mudanças quando elas chegam sem avisar e tentar viver em paz. Seja através de Mercedes, Finn, April, Will, seja em um deles ou todos eles o episódio tratou muito bem do tema “home” e foi forte, intenso. Glee pode ser irreverente, sarcástico, debochado e as vezes esquecer da realidade (quando por exemplo Quinn fica sem barriga para dançar no palco) mas quando a série toca no drama, nossa, é perfeita. Alem das importantes e lindas reflexões do episódio, algo que gostei foi Mercedes e Kurt terem suas histórias, e mesmo Finn mostrando que ele tem mais a oferecer na série, do que o draminha com Rachel. Se Glee aproveitar isso vai poder criar histórias paralelas fortes e importantes, pois Mercedes, Kurt, Artie e Quinn têm muito a serem explorados, assim como os outros personagens que pouco falam como Tina, os 2 garotos do Glee, Puk, Santana e Britany podem ter suas histórias. Após 3 episódios bons mas repletos de Rachel e Finn, Will e Emma (o que me cansou muito), Glee em Home mostra que a série pode e tem muito mais conteúdo do que aparenta, para mim foi mais “the power of home” do que “the power of madonna”, pois no ótimo episódio sobre a rainha do pop, em nenhum momento senti 1% de grande ou algum conteúdo a se oferecer, entretanto em Home, estava transbordando.

Começando a falar do episódio em si, se naquele 5º episódio, o primeiro com a participação de April, onde todos amaram e eu não (ok, eu sou do contra mesmo) dessa vez simpatizei e gostei bem mais da aparição da loira. Novamente ela deu um show de interpretação, e mesmo eu não curtindo as músicas do episódio, elas foram perfeitas, se adaptaram completamente ao que os personagens estavam sentindo e vivendo. April nada mais é do que alguém no fundo solitária que tem esse jeitão doido mas no fundo é carente. Já Will (meu personagem número 1 nas piores tramas ever) mostrou um pouco de sua solidão, do significado do que o novo lar é hoje em dia. Uma casa vazia, um espaço vazio no coração, decepções. Enfim adaptação a essa nova vida, que como bem Emma disse no episódio anterior é necessária a ele. Mas também há esse lado, uma casa vazia, silenciosa, uma cozinha para um, enfim, a solidão de chegar do trabalho e não ter alguém esperando em casa ou chegando junto com você. Mas sendo um pouco mais realista, qual é a do Will? Com a professora do Adrenalina ele não pensou 2x para se atracar e com April agora deu uma de virgem? Enfim, não adianta, me desculpem os fãs de Will mas ele sempre carrega as piores histórias da série. Mas sem duvida tanto ele quanto April levantou bem a questão da solidão e uma forma de mesmo assim tornar sua “home”, seja algo físico ou sentimental, em algo que se possa conviver. Fechando April, ela comprou o auditório para a turma de Glee ensaiar e vai se mandar para a broadway, um bom desfecho para a simpática e divertida personagem.

Gostei muito a união do pai de Kuet com a mãe de Finn. E isso meio que deu certo, ao menos para o casal, que em suas vidas sozinhas, encontraram uma motivação maior. Kurt que fez isso apenas para ficar perto de Finn e essa paixão platônica, foi o mais comprometido na história, pois Finn que tanto rejeitou o casal, no final tem uma bela lição do pai de Kurt e de quebra, começa uma bela adaptação a uma nova vida, ao ter alguém para falar e ver um jodo na tv, algo que pelo visto ele sempre quis fazer com o pai. Não da pra não dizer que não foi tocante o drama de Finn, as cenas com a mãe, 2 lados de uma história com suas dores e expectativas. Foi realmente lindo.

Sobre Kurt foi uma tristeza só. Mesmo ele errando ou aproximando o seu pai com a mãe de Finn por interesse próprio não há como não se comover no final quando ele vê o pai feliz se identificando com Finn. É lógico que o pai de Kurt o ama, mas também é normal que Kurt se sinta assim. E muito bem aproveitado pela série tal situação, rendendo uma história tão forte e verdadeira sobre Kurt e seu crescimento. A sensação de não ser o filho que o pai gostaria de ter, e de ver alguém ocupar esse lugar. Algo que sem duvida torna o caminho de Kurt mais pesado, árduo, que de fato mostra alguns riscos ou coisas que se ganham e se perdem pela vida homossexual que Kurt tem. Mas o pai dele foi perfeito quando disse “que eles têm um trato e nenhum dos 2 vai tentar mudar o outro, apenas se aceitam”. E olha que para um pai não deve ser fácil, da mesma forma que para o filho não é. Excelente. O solo de Kurt lindo, mesmo ele se declarando escancaradamente para Finn, foi uma cena tocante que mexeu com todos. Alias onde todos puderam avaliar o que sentem. Ah Brithany e Santana com o dedinho, foi mara.

E Mercedes nem preciso comentar não é? Merecidamente o solo dela com Beautiful no ginásio. Alias cena forte e linda. A musica da Christina Aguilera, o clip original tratam exatamente do que Mercedes falou. E quando ela fala dos seus medos, sentimentos, e pergunta se alguém ali sento o mesmo, e que naquele momento ela se sentia assim, foi lindo, de chorar mesmo. Acho e arrisco a dizer que foi uma das cenas mais lindas na história da série. Você percebia a emoção do elenco, vide Will na arquibancada totalmente emocionado. Glee não tratou de nada novo. Uma garota negra, gordinha, a não aceitação devido ao peso, os sacrifícios que alguém faz para perder peso e ser aceita. Porem, estamos acostumados a ver Mercedes com sua vozerão e de repente vemos uma menina doce, meiga e assustada, falando com doçura, ternura, chorando. Pedindo ajuda, apoio. Cara, isso foi um toque tão genial. Tão lindo. A cena dela com Quinn encheu meus olhos de lágrimas, as palavras de Quinn, o jeitinho de Mercedes responder, as duas extremamente emocionadas, enfim, lindo, lindo, lindo. Bravo como disse o repórter.

Alias, Sue levou uma senhora lição de vida, um senhor tapa na cara. Mercedes foi contra tudo o que Sue disse e agora a treinadora deve a garota o fato de não ser mal retratada na revista. Adorei porque Sue teve que engolir a seco e talvez perceber que ensina errado.

Fora isso, pra mim um excelente episódio. Um episódio que mostrou que Finn tem muito mais a oferecer e a contar do que o drama chato com Rachel. Não tivemos aquela lenga lenga de Emma e Will que já vinha me cansando. Tivemos Kurt e Mercedes e suas duras realidades, onde a série mostra e espero que mantenha esse caminho e aprofunde-se nisso, que tem muito o que contar se explorar mais seus coadjuvantes. É fato que em termos de vidas e histórias a maioria tem muito mais o que contar do que Rachel. Todo o tempo gasto em tela com ela e os solos da garota poderiam ser cenas dos outros. Ok, ela canta bem, tem uma voz linda, mas existem mais personagens. Adorei quando Kurt levanta e vai cantar na aula, algo que apenas Rachel faz. Então espero que a série saiba dosar e dar espaço a todos, que ela siga uma linha mais realista, que continue sarcástica, irreverente e debochada mas que não cometa absurdos como colocar Quinn dançando sem barriga express yourself. Eu já disse, Glee cresce e ganha muito em termos de roteiro quando ela parte para o drama. E Quinn que adoro, ainda espero uma explicação de onde a menina está morando, pois ela estava na casa de Finn e após ele descobrir as mentiras dela, pra onde ela foi? Sinto falta de histórias com ela, centradas nela, mas acredito que como ela terá o nascimento do bebê pela frente, está meio de lado agora por isso.

Gosto é gosto, eu prefiro Glee mais verdadeira e emoção do que a Glee mais debochada dos episódios 14 e 15. Então pra mim foi um belíssimo episódio, Mercedes foi linda, beautiful ficou graciosamente linda na voz dela, e reparem que ela não “berrou” ou usou aquele potencial todo de voz, ela cantou mais doce e com mais emoção. Foi lindo. Mesmo gostando apenas da musica beautiful e achando todas as outras musicas do episodio fracas e um porre, as letras se encaixaram no episódio, compuseram o episódio e só de ouvir Home Sweet Home de Carrie Underwod já era fator suficiente para saber que seria um episódio emocionante.

Anúncios
Explore posts in the same categories: Glee

Tags: , , , , ,

You can comment below, or link to this permanent URL from your own site.

6 Comentários em “GLEE – HOME (1X16)”

  1. Evertton Says:

    Eu gostei mto mais desse episódio do que o da Madonna, mas as músicas ficaram a desejar, a única que eu curti foi a da Mercedes, e ficou linda!

  2. markinseries Says:

    ola Evertton
    obrigado por comentar. hehe finalmente alguem hehe
    entao cara, eu tbem curti muito mas muito mais esse episodio do que a da madonna, foi mil vezes melhor, porem as musicas foram muito ruins, chatas e sem graça. nao conhecia nenhuma.. foi um mal repertorio. como vc disse só a da mercedes foi uma musica boa mesmo.

    • Evertton Says:

      uai, não sabia que eu fui o primeiro!! rsrsr

      Então, gostei mto da historia do Finn e do Kurt, e a Sue tbm estava demais, eu ri demais dela na cena da balança, e foi mto bom tbm a Quinn ter mais falas nesse episódio, gosto mto dela! To mto ansioso pra ver o que eles vão aprontar com o Jesse, será que ele é o novo par do Kurt? e tbm quero ver a participação do Barney de HIMYM!!! flw, ate mais!

      • markinseries Says:

        entao
        adorei a quinn ter tido falas. por mais ireal q glee seja e irreverente ou debochada, eu prezo q ela seja coesa. ainda kero saber onde quinn ta morando, e apos o fim da temp 13, a historia dela ja merecia um andamento. ao contrario do povo que tava de saco cheio da gravidez dela e o lance com o finn, eu adorava. sobre jesse no sei, acho q vai ser algo com rachel mesmo. mas qto menos rachel e finn e menos will mais curto o episodio. finalmente historias com outros personagens. como eu disse glee pode ser bem mais profunda se aproveitar os coadjuvantes. finn provou q tem trama isolada pessoal pra ele. ja rachel, ate agora nao.

  3. Juliana Says:

    Essa serie e muito boa e esse epsodio em especial me ajudou muito foi lindo valeu .
    obrigada

  4. nadia Says:

    adorei a materia,adorei o episodio…a musica e perfeita pra mim.as vezes agente liga muito pro que as pessoas falam.eu queria que tudo fosse mais facil,queria realmente me sentir bem com meu corpo,mais acho que isso ta se tornando uma missão impossivel.
    OBS:nunca deixe que os outros te influenciem,seja voce mesmo,independente de qualquer coisa.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: