GLEE – THE POWER OF MADONNA (1X15)

Bom episódio de Glee essa semana, aliás, especial episódio para fãs de Madonna, pois a trilha do episódio, além das tramas e todas as referências foram a este ícone pop. E como um todo foi um bom episódio de Glee, mas sem dúvida Sue Sylvester foi a diva desse episódio e atraiu todos os holofotes para si. Ela cantando Vogue foi algo inimaginável e muito divertido. Tudo bem, achei ela um pouco durona com pouca desenvoltura corporal ou pra dança, mas sem dúvida foi excelente e nada como Sue para ter um vídeo clip só para ela. Fora isso, excelente apresentação de Like a Prayer, acho que a música que mais gosto da cantora, Mercedes e Kurt tiveram um excelente solo (finalmente) e até as Cherios tiveram sua apresentação pessoal. Resumindo, bom episódio que usou as músicas de Madonna para aprofundar questões como amor, sexo, e especialmente o respeito dos homens com as mulheres. Como deveriam ser tratadas e talvez elas não precisem ser nenhum ícone pop sexualmente fatal para terem destaques, devem apenas reconhecer sua força e capacidade e deixar o mundo ver isso nas suas atitudes.

O início do episódio é todo de Sue, e entre cenas delas, ou com o diretor, ou com as cherios, o episódio vai fazendo excelentes referências a Madonna, sobre sua música e o que ela representa o tudo isso me soou mais real e com muita sinceridade do que alguma irreverência da série a alguma passagem de Madonna. Até Will fala da importância das musicas da diva ao ressaltar que falam de igualdade, de ser corajoso, independente e forte. E sem dúvida, mesmo eu não gostando de Madonna e não vendo nada demais na sua carreira, reconheço seu sucesso e tudo que conquistou e sua sempre tentativa de inovação. Mas gostei muito mais das versões cantadas em Glee e agora sim vou começar a ouvir mais as músicas da diva.

Sobre o episódio, ele foi quase que todo musical. Tudo bem que as musicas serviram para retratarem sentimentos e comportamentos, mas Glee foi bem musical, aliás ótimos musicais. Mas eu volto a dizer a critica que fiz no retorno da série. No episódio 13 uniram Will e Emma, Finn e Rachel e no 14 a série voltou a estaca zero, separou os casais, Sue voltou a incomodar Glee, ou seja tudo que vimos nos 13 primeiros episódios. As vezes me preocupo com o futuro da série, porque esse retorno e alem dele, a volta a histórias antigas, me pareceu mais falta do que contar, de algo novo, e então voltaram ao que já tinham. E será que será só isso até o final da série? Esse chove não molha entre Will e Emma, entre Finn e Rachel? E os outros? Cadê os solos dos demais? Cadê suas histórias desenvolvidas?

Eu gostei do episódio 14, desse 15, mas não posso fechar os olhos e não dizer que certas coisas me incomodam. Por sorte nesse episódio Sue teve especial destaque nessa coisa de Madonna, e Mercedes e Kurt apareceram falando, Artie e Jena também e Santana e Brit continuam aparecendo e falando. Mas ainda sinto um excesso de Rachel e Finn, seja em cenas faladas seja em solos musicais. Eu adoro o casal, torço pelos dois, mas queria que Glee abrisse espaço para os demais.

Indo ao episódio excelente cena entre Mercedes, Kurt e Sue, sobre o papo de cabelo e a abertura que ela deu aos dois. E a participação deles nas Cherios cantando 4 Minutes foi excelente. Adoro Mercedes e Kurt cantando e sem dúvida o episódio fez uma referência a seus próprios “erros”, quando os dois falam a Will que estão cansados de não terem seus solos. E só eles estão cansados? Eu também estou de tanta Rachel e tanto Finn.

Rachel falando as meninas sobre a primeira vez foi interessante, bonita cena e boa amizade entre elas, mas achei estranho Quinn ouvir num boa ela falando do seu ex namorado. Estou achando estranho toda essa calma de Quinn, aliás espero que o personagem volte a crescer porque está totalmente de lado. Ah e sobre Rachel procurar Emma, e ela não conseguir falar de sexo com a adolescente foi inteligente, já que ela tem seus problemas com isso ainda,

Falando em Emma, confesso que essa trama dela com Will, também não me atrai muito. Mas o episódio soube bem mostrar que Emma não precisa ser “Madonna” ou agir de forma sexualmente fatal ou apelativa, tanto que não acontece nada entre ela e Will ainda.

E Artie e Jena finalmente falaram. Mas confesso que a cena dele falando sobre a gagueira de Jena ou sua forma de se vestir não me soou tão agressiva para encaixarem os dois no tema do episódio, sobre desrespeito a mulher. Não foi ruim mas foi fraco. Mesmo q cena que ela fala do feminismo dela para Artie, que foi excelente, não se encaixou. Pois não houve desenvolvimento do romance ou da ligação de ambos desde o episódio 13, então me soou fraca tal história. Eles deviam ter alguma cena a cada episódio para daí sim conflitos que surgem soem mais reais. Porem Glee gasta tempo demais em tela com apenas Rachel e Finn.

Falando neles, Rachel e sua duvida cruel de dormir ou não com Jessé. E ela não dorme. Já Finn acaba dormindo com Santana. Pra ser sincero, todas as cenas dos casais na cena de Like a Virgin foram clichês mas gostei de Finn ter escapado do clichê e dormindo com Santana, a primeira vez não precisa ser idealizada tanto como é nas séries. E a cena com Like a Virgin foi uma outra boa cena do episódio.

Então musicalmente o episódio funcionou bem. Express yourself, embora Quinn dançando sem barriga soou forçado, está aí uma questão. Porque não desenvolver esse problema de Quinn dançar e participar do Glee com um barrigão já? Fica mais fácil fingir que ela não ta grávida como nessa cena e no comercial de Jump? Grande erro na tela. E nem preciso dizer da excelente performance de Like a Prayer, sem duvida a melhor musica da Madonna e ficou para o final, uma linda apresentação, simples mas com vocais ótimos.

“Roteiramente” falando, excesso de Finn e Rachel, história adolescente entre Will e Emma e tramas já vistas nesse retorno da série. Mas pelo menos há Sue para movimentar a série. Aliás adorei Ray of Light na cena das Cherios, é uma das musicas que mais gosto, e versão do meninos de “What It Feels Like For A Girl” ficou linda, eu que nunca gostei dessa música estou adorando ouvir com o Glee cantando. Ah imaginei não sei porque Kurt cantando Don´t Cry For Me Aregentina imitando Madonna, haha. Ah 2, queria ter ouvido Love Profusion na voz de Glee. E de novidade a entrada de Jesse no Glee club, eu só não gostei disso porque se antes só Finn fazia solos, agora mesmo que os demais meninos do Glee nem vão abrir a boca, e Artie e Puk têm um ótimo vocal. Já o japa e o moreno seguem sem abrir a boca. E ele não deve ter ido ao Glee por amor, mas talvez ainda seja uma armação.

Parece que odiei o episódio, mas não foi isso não. Eu gostei, mas tem certos caminhos que a série escolhe, que não me parecem tão interessantes. A série retornou, as tramas são as mesmas o que me faz pensar se ela tem algo a mais para contar e o pior é o excesso de Rachel e Finn, espero muito que os demais comecem a ter seus solos e cantar, que Quinn volte a ter destaque, que os 2 meninos que não falam passem a falar e cantar, a ter histórias, idem a Santana e Brit e Artie e Jena. E uma coisa que adorei e espero que continue sendo investida é na amizade entre Kurt e Mercedes e em mais solos para os dois. E Sue está armando alguma coisa com essa história de viagem com alunos de Glee?

Entre erros e acertos o episódio passou sua mensagem, que até Will entendeu, as meninas precisam de mais respeito, e não precisam ser radicais ou mudar algo, e Kurt disse bem, o glee funciona porque cada um respeita o talento um do outro, falta passarem a se respeitarem como indivíduos.

Explore posts in the same categories: Glee

Tags: , ,

You can comment below, or link to this permanent URL from your own site.

2 Comentários em “GLEE – THE POWER OF MADONNA (1X15)”

  1. JEAN Says:

    Olá, Mark!
    Glee voltou, pra alegria dos norte-americanos fanáticos dessa trupe. E voltou explodindo no Ibope. Essa série é a nova Friends, sem dúvida! Aqui no Brasil, aguardamos a segunda temporada, rs..
    Abraços!

  2. markinseries Says:

    entao jean voltou mesmo. adoro a serie, embora tenha alguns erros q me incomodam. porem esses 2 eps de retorno para mim nao superam os ultimos da primeira parte da temporada.

    e só pra te explicar, aki no brasil a serie volta ainda mas na primeira temporada. a segunda temporada só em setembro ou outubro nos eua.

    foi assim 13 primeiros episodios exibidos entre setembro e dezembro de 2009, e os restantes, do 14 ao 22 da primeira temporada voltaram agora em abril.

    abraço e valeu o coment nesse blog pobre de comentarios hahaha


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: