LIFE UNEXPECTED – LOVE UNEXPECTED (1X13). SEASON FINALE DE LU.

Love Unexpected esse foi o título do último episódio da curta e primeira temporada de Life Unexpected. E esperamos que não seja a última ,certo? Pois um drama tão bonito e consistente como este merece voltar para uma próxima temporada. Não tivemos Abby, Bug nem Tasha, ou mesmo Jones, nem os problemas amorosos de Lux, nem sua rebeldia. Tivemos amor. Dúvidas. Conflitos. Indecisões. Esperança. Qual o tempo certo de cada pessoa? Qual a idade em que realmente nos tornamos adultos? Quais traumas ou carência de afeto nos levam a sermos adultos desajustados? Há resposta para tudo isso? Há solução? Com certeza deve haver. Mas para encontrá-la, é necessário encarar e enfrentar seus medos, sejam internos dentro de você, sejam em duelos de palavras com alguém que as vezes é o causador disso tudo. Nessa finale de LU, tivemos a maior visão do quanto Cate e Baze lutam para deixarem para trás aqueles adolescentes indecisos e amedrontados. Na verdade, Lux não é a única adolescente da série, quase todos são, quase todos esperam ser melhores, quase todos esperam crescer e nesse 13º episódio dessa 1ª temporada, crescer fazia parte de assumir sentimentos, ter coragem para dizê-los, não dar mais voltas e fugir do óbvio e ser honesto com você mesmo e com quem você ama. Só a sinceridade pode levá-lo ao encontro de quem você ama…

E que árduo caminho nossos anti-heróis e anti-heroínas enfrentaram nesse episódio. A proximidade do casamento de Cate e Ryan, mexia com todos inclusive os noivos. Enquanto Ryan parecia mais decidido, novamente vemos uma Cate confusa, com medo de dar aquele próximo passo. Quando sua amiga da rádio surge com um contrato e Ryan decide não assiná-lo, desencadeia uma ação em tarefa onde Cate acusa Ryan de não acreditar que poderão ou estarão juntos daqui a 5 anos, quando na verdade é ela que não vê isso ou tem medo que isso se torne real. Mas tudo se aprofunda mais, quando Lux revela a Cate que Baze tem sentimentos por ela.

E na cena que Cate cria coragem e procura Baze para dizer como se sente, sem dúvida uma linda e perfeita cena, foi nítido a dificuldade e a coragem de Cate em olhar para Baze e dizer que tem sentimentos por ele, ele pensando estar protegendo sua amada diz não sentir o mesmo. Clichê? Sim. Real, muito mais. Baze que vinha decidido a revelar o que sente por Cate, ainda mais quando teve que ceder o bar para as festas do casamento e os ensaios, após um mau conselho de Math desiste de encarar o que sente, acreditando no que todos dizem, que ele não mudou nada e não é bom para Cate. Oh Math, mandou mal dessa vez.

Mas tudo é um processo. Todos precisam ir as raízes de suas dores para confrontarem-se a si mesmos. E a cena em que Baze joga em cima do seu pai, todo seu desanimo, todo seu trauma, tudo que carrega por nunca ter ouvido do próprio pai um eu te amo, ou uma palavra de conforto e encorajamento, a dor por isso impedi-lo de certa forma de ser alguém para Cate, foi incrível. Kristoffer Polaha deu um banho de atuação, me arrepiou mesmo. Mais tarde o pai procura o filho e finalmente consegue demonstrar algo que Baze tanto precisava, que finalmente ambos precisam aceitar como são, e que o ama, e que ele deveria dizer o quanto ama Cate. E sai um abraço na cena, comovente e lindo.

Fora isso divertidas cenas no ensaio do casamento, onde os pais de Ryan, a mãe de Cate todos adultos desiludidos em seus casamentos, despejavam decepções em cima dos noivos, em brindes nada agradáveis. Mas uma das cenas mais lindas da série até então envolver novamente Lux e Ryan. Eu amo quando os roteiristas colocam nas bocas de ambos as palavras mais perfeitas para entendimento do seu mundo. Lux que gosta de Ryan mas com a visão que fomos criados e acostumados a acreditar, de sempre queremos uma família normal, nossos pai e mãe juntos, sofre o episodio todo, por saber que Baze ama Cate e por mais, por ter esse sonho de perfeição de tê-los juntos. E a cena é linda, quando Ryan diz a Lux toda a compreensão de como ela se sente, que é normal queremos nossos pais juntos, que a vida toda ela cuidou dos outros e aprendeu a ser “pai e mãe” e agora pela primeira vez ela está aprendendo a ser filha ao desejar seus pais juntos. E mais, ele fala que casando ou não com Cate eles sempre serão uma família e ele só quer fazer parte disso.

A cena é linda, memorável. Sejamos sinceros. Quando conseguimos agir assim, quando entedemos alguém tão a fundo desse jeito, sabe quando? Quando nos colocamos no lugar de tal pessoa e não podemos condená-la ou acusá-la por agir ou sentir-se assim, porque também já tivemos ou temos o mesmo sentimento. E isso é fácil? De forma alguma. É mais fácil esbravejar e ficar bravo tomado por algum sentimento egoísta com medo de perder algo que tanto amamos ou queremos. E se alguém ousa tirar isso de nós, é mais fácil brigar e acusar do que entender a pessoa. No caso Lux indiretamente pode tirar de Ryan quem ele ama, mas ao olhar para dentro de si mesmo, ao ver que ele também já foi um adolescente e ainda é, ao querer seus pais bem e juntos, ele passa por cima de tudo, a ponto de ter tal gesto de humildade e compreensão com Lux. Lindo! Linda cena, e foi de cortar o coração ao ver Ryan sofrendo.

A conversa entre Cate e Lux foi singela também. Onde Cate percebe que o problema não é Baze ter sentimentos por ela, mas sim ela ter suas dúvidas. E é quando Lux fala que ambas estão amarradas a suas fantasias, e que Baze talvez não as realize, e que Ryan concretiza todas essas fantasias. Por fim, Cate e Ryan se casam, justamente quando Baze chega na igreja, aparentemente tarde demais. Talvez mostrando a Lux e Cate que se enganaram a respeito dele. Cena clichê? Sim mas perfeitamente cabível e necessária naquele momento. Final perfeito. As cenas do casamento iniciadas pelo contrato assinado por Ryan, suas palavras, comoventes.

E essa foi a season finale de LU, ou LUX, redenção de personagens, de atitudes erradas, coragem e muito sofrimento para dizer um simples eu te amo, para revelar a alguém que a ama, episodio de se desgarrar de fantasias e aceitar a realidade e perceber que as vezes é a melhor fantasia na concretização de seus sonhos. Isso ficou mais visível nas lindas palavras de Cate no final do episódio. Ah no inicio do episodio tivemos um lindo discurso no momento que Cate, Baze assumiam definitivamente Lux. As musicas remeteram ao piloto, usando “Can´t go back now” do The Weepies e “Love me like the world is ending” de Bem Lee. Passado, presente e futuro, nessa inesperada finale de LU.

“Quando eu era pequena pensava que entendia como funcionavam as coisas. Meninas crescem e se casam com meninos. Pais acompanham suas filhas ao altar. As coisas tinham uma ordem, primeiro o amor, então o casamento, depois com o pacote um bebezinho. Quando cresci me dei conta de quem nem sempre as coisas funcionam dessa forma. Meninas se casam com meninas, meninos se casam com meninos. As mães também levam suas filhas ao altar. E filhos podem vir antes do casamento. Levei 32 anos para descobrir quem eu queria ser, e o que aprendi, as escolhas que fazemos diariamente nos levam a quem queremos ser e com quem queremos estar. É preciso lembrar de tudo que passou, chegar aqui e se desprender dessas coisas, significa estar pronto para se comprometer. Se entregar e sem garantias, significa que aceitando a realidade suas fantasias podem se realizar.”

“… e eu não vou a lugar nenhum ao menos que seja com você… e aprendi a aceitar uma coisa, o amor…”

Anúncios
Explore posts in the same categories: Life UneXpected

Tags: , , , , , , , ,

You can comment below, or link to this permanent URL from your own site.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: