BROTHERS & SISTERS – TIME AFTER TIME (4X18 & 4X19)

Após umas semanas de reprises, Brothers & Sisters voltou com um episódio duplo, “Time After Time – Parts 1 and 2”. E voltou para provar que é a série que faz todo se emocionar quando precisa e rir quando é divertida. Após uma temporada chata (ao menos para mim né, pois estava odiando tal temporada, embora perceba que os fãs mais calorosas amam a série de qualquer jeito – não é o meu caso), com histórias pouco interessantes ou envolventes, como a cansativa e chata campanha política da mais chata ainda Kitty, do chato Kevin e da chata história da barriga de aluguel, dos choves não molha de Justin e Rebecca, do sonolento Saul, e das caras e bocas de quase todo elenco, incluindo Nora, onde todos realmente já me cansaram, sejam nas cenas típicas ou nos olhares de cada um, no jeito de gesticular ou falar, especialmente Kitty e Kelvin, os que mais me irritam, pois a série chegou num ponto que você já imagina que olhar eles farão, o que falarão, que expressão facial farão e isso se tornou tão chato e se agravou ainda mais quando a temporada tem tido péssimas tramas, que até me lembra as caras e bocas e típicas falas e cenas de Charmed onde era irritante o jeito de cada personagem, tornando o formato “seriado de tv” totalmente robotizado e mais clichê, enfim desculpem-me mas desabafei, e após toda essa critica, finalmente Brothers & Sisters fez realmente um episódio decente. Ok, não me emocionei, nem me envolvi com a trama, mas foram 2 episódios muito bem desenvolvidos, tensos e amarrados. A trama funcionou, o elenco esteve ótimo (tirando as caras e falas de Kitty) e essa trama Narrow Lake, ou Dennis York de longe foi a mais interessante da temporada. E tem mais, juro que me senti num episódio de Cold Case, regado de flashbacks, músicas e um crime misterioso. Pareceu até uma jogada de BS já que vinha concorrendo com CC as 22h e perdendo, e dessa vez, invadiu o universo de Cold Case e fez o melhor ou talvez único até aqui, grande episódio da temporada.

A primeira parte do episódio é mais tensa, forte e dramática. Tommy está de volta e tenta ajudar a mãe a convencer seus irmãos a venderem suas ações da Ojai Foods. Porque, esse é o grande mistério que Nora guarda a 7 chaves. E essa tentativa desencadeia uma típica cena entre os Walkers, onde um quer falar mais que o outro. E não demora para Kevin começar a culpar Tommy por tudo. O que até achei injusto, apesar de tudo, achei injusto quando Kevin, Kitty e Sarah começam a criar acusações contra o irmão. E honestamente, “adorei” quando a cara de Kevin caiu ao ver que não era o irmão que tinha feito a besteira. Também vimos flashbacks dos anos 80, um acidente de carro, onde nos pareceu Tommy estar envolvido, e aos poucos quando Kevin, Sarah vão tendo seus flashbacks bem ao estilo Cold Case, eles vão juntando as peças. Antes disso, Tommy descobre o que Nora esconde, e é ele quem vai tentar ajudar o irmão que Nora tanto quis proteger, mesmo erroneamente. Com o passar do tempo e flashbacks Kevin descobre que não foi Tommy o problema, mas ele é o “culpado”. Ele lembra da briga com um colega de escola, Aaron, que na época tentou beijá-lo e como Kevin se descobria homossexual eles brigam, Kevin empurra Aaron e o rapaz tem uma enorme queda que seu pai, William Walker encobre tudo, com o apoio de Nora. Após a morte de William, Nora manteve o trato, por que? Porque o rapaz que Kevin empurrou ficou paraplégico. E durante todos esses anos os Walkers pagaram a família do rapaz. E Kevin nunca soube de nada, para ele foi dito que o rapaz estava bem.

E então estourou a bomba em Brothers & Sisters. Eu estava com medo que Tommy fosse o culpado como o episódio levou a crer durante um tempo. Eu pensei, poxa após tudo que ele já passou e as culpas que carrega, só o que faltava arrumarem mais uma pra ele. Por sorte, dessa vez não foi ele. Foi Kevin. E eu imagino o trauma e dor de Kevin ao descobri tudo isso, foi um acidente, ele não teve culpa mas ele sabe que ELE empurrou o rapaz e agora sabe o desfecho disso. Mas não sei porque não fiquei com pena de Kevin, talvez porque eu o ache tão chato e arrogante, que foi como se ele merecesse ou tivesse que passar por algo assim para ver se acorda. Mas convenhamos é um fardo bem grande para alguem carregar e ninguém merece algo assim. Agora resta saber como isso afetará Kelvin, desempregado, ainda perdido com relação a carreira e com esse fardo. Ele visitou Aaron, a cena foi ótima, porem pareceu resolvida em poucos instantes, mostrando um Aaron conformado, talvez sei lá, fosse preciso mais tempo. Mas a cena funcionou e foi ótima, pois serviu para ser o ponta pé inicial para Kelvin começar seu processo de aceitação e redenção. Linda cena. Porem ele ainda não fala com a mãe e não a perdoa.

Tema difícil. Pois vejam, se ela não tivesse feito isso, sabe-se lá como Kevin estaria hoje em dia. Se seria o homem que é, se teria estudado, e vencido na vida. De certa forma, por mais repugnante que seja o que William e Nora fizeram, e pior a família do rapaz aceitar tal suborno, Kevin deve a mãe a vida que tem hoje. De certa forma ela o salvou. Porem nenhuma mentira ou omissão dura para sempre, resta saber como Kevin lidará com isso e se isso afetará sua formação. Porque por mais chato que eu o considero, não posso negar sua integridade. E isso ele deve a sua mãe, mesmo sendo criado sob um substrato falso criando uma “falsa” realidade, para ele crescer bem e de forma segura. Mas lembro, o amor de sua mãe e sua proteção, sua compaixão foram reais e sem duvida ela merece uma absolvição. Pois ela também carregou esse fardo por anos. E o fato de Aaron ter livrado Kevin de culpas maiores ao aparentar estar “bem”, como eu citei, foi o boom para recuperação de Kevin. Ah já estava esquecendo, memorável a cena em que Nora e Sarah duelam.

A segunda parte do episódio foi mais divertida. Falando um pouco de Kitty agora, nessa segunda parte, ela precisava ir a sua primeira consulta e ver se o câncer estava estabilizado, acabado ou se poderia ter voltado. E roubando a cena no jantar, ela diz que esta em remissão. Achei linda a cena quando os irmãos se abraçam, mesmo tendo achado esse tema da doença mega forçado na série e desproposital. Só não me emocionei na cena, porque Kitty não me desce mesmo. Alem disso quem sabe tal resposta ou conclusão da sua doença poderia ter ficado em suspense para o próximo episódio, dando foco a Justin e Rebecca no jantar, que eram o foco de certa forma.

Falando do casal 20, adorei a postura de Justin ao ficar ao lado de Becca e dizer a ela para deixarem suas famílias de lado, a Ojai de lado e pensarem nos dois. Já sofreram tanto com as brigas intermináveis entre Harpers e Walkers que é o momento de um deles tomar a rédia e não deixar isso mais atrapalhar. E então ele decide se casar com Becca. A cena só não me emocionou porque foi rápida e engolida pela trama principal e mais envolvente da história. Mas foi bonita e finalmente e espero que o casal amadureça e saiba enfrentar os problemas daqui para frente com mais seriedade.

E talvez o melhor do episódio ou mais divertido foi ver Holly e Nora juntas. Segredos são revelados, Nora descobre que uma loira que esteve com William num verão de 73 foi Holly e isso ajuda a desvendar mais o mistério das terras de Narrow Lake. Elas roubando o carro de Dennis foi hilário. E mais hilário foi Robert batendo uma foto delas na prisão. Impagável. E eu espero que as duas se tornem amigas. Merecem isso. E no final as duas acham a tal Narrow Lake, um lugar inóspito mas agora ficam mais mistérios, porque Dennis quer essa terra, e será que ele continuará chantageando Nora?

Pontos altos do episódio, sem duvida Nora e Sara e Nora e Holly. Cody Longo como o jovem Tommy, foi uma excelente escolha e participação, Anna Wood como Sarah também, além de Kasey Campbell com o jovem Kevin, Tyler Neitzel com o jovem Aaron e Christopher Thornton como o atual Aaron. Tivemos também Kay Panabaker como a jovem Kitty e sabem que deu vontade de acompanhar a jovem vida dos irmãos Walkers, exceto por Kitty que era tão achata quando jovem como é agora. Pontos fracos, senti falta de uma cena melhor de desculpas de Sarah e Kevin a Tommy. Tommy voltou porque nesse episódio? Apenas para parecer ser o culpado? E cada vez mais sinto por Rebecca que após o ótimo pilot de ser irmã ou não dos Walkers, ultimamente se junta a Scotty e Julia e se tornou uma enorme coadjuvante sem destaque e sem ótimos dramas que exploram toda sua capacidade, como bem vimos a bela Amy em Everwood. E não foi apenas Rebecca que vem se apagando e sendo engolida pelos irmãos Walkers, Robert também. Para mim essa poderia ser até a ultima temporada da série, com Holly e Nora se entendendo, resolvendo essa questão da Ojai e dessas terras porque não vejo mais o que a série pode oferecer. Essa temporada foi intragável, porem finalmente fez um ótimo episódio, dramático e engraçado, agora é esperar e ver o desfecho disso tudo nos próximos 3 episódios, que pelo visto prometem serem tensos ao bem estilo de BS. Mas Time after Time, bem Cold Case foi um ótimo episódio, vimos o passado dos Walkers, como eram e se sentiam e entendemos melhor como são e sentem hoje em dia. E de quebra Nora e Holly são as novas Thelma & Louise. Ok, foi um bom episódio, deu vontade de continuar vendo a série e não desistir dela.

Explore posts in the same categories: Brothers & Sisters, Brothers And Sisters, Cold Case, Everwood

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , ,

You can comment below, or link to this permanent URL from your own site.

3 Comentários em “BROTHERS & SISTERS – TIME AFTER TIME (4X18 & 4X19)”

  1. markinseries Says:

    Acrescentando:
    – trilha sonora instrumental maravilhosa, especialmente nas cenas mais fortes;
    – parabéns ao elenco que fez os Walkers jovens, entraram assumindo papéis importantes e foram ótimos;
    – Nora e Holly atrapalhando a noite de núpcias foi hilário;
    – Tommy e o seu suporte a Nora e mesmo a Kevin, muito tocante;
    – eu só me perdi nos anos, falavam bastante 25 anos atrás ou quase 25, entao foi no ano de 1985 ou 86 ou 84. Acredito que foi 86, pois fizeram referencia aos filmes Top Gun e Platoon, filmes lançados em 86. Porem Time after time da Cindy Lauper é de um álbum de 83 ou 84, e a outra musica famosa da epoca Dance hall days de um tal de Wang Chung é de 84.
    – revendo o episódio, realmente foi muito bom, e salvou uma temporada que até entao estava fraca e chata.

  2. Leonardo Says:

    Olá. Cara, assim como você em abril, estou vasculahndo a net embusca da música Behind Blue Eyes interpretada por Rob Giles nesse episódio. Então, confiante em sua busaca, queria saber se você conseguiu encontra-la. Se encontrou, você poderia me enviar? Por favo. Obrigado.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: