LAR DOCE LAR – Caldeirão do Huck 05/12

Eu falo sempre de seriados, e por mais que eles retratem a vida, nada se compara a realidades de vida, e quando a tv brasileira faz algo tão belo e marcante merece sim ser divulgado e falado, por isso deixo minha pequena contribuição e também uma forma de agradecimento no que vi nesse lindo programa de dezembro, nesse dia 4, no quadro Lar Doce Lar do Caldeirão do Huck.

É raro algo na tv aberta me chamar a atenção, o que mais temos são programas sensacionalistas, apelativos, baixarias e pouquíssima qualidade mas como sempre há boas exceções e essa semana quando vi as chamadas do quadro Lar Doce Lar do Caldeirão do Huck eu pensei, poxa tenho que ver esse programa. E o que eu sei do programa é o que vi na tv, não sei de notícias de bastidores, nem de mais nada, sei apenas do que vi na tv e confesso que me emocionei o programa todo, a cada novo bloco, a cada comentário, a cada reação dos participantes eu me emocionava mais, dá pra dizer que passei das 16h até as 18h05 com lágrimas nos olhos vendo o programa. E não foi qualquer programa hoje, realmente Luciano Huck e sua produção quiseram fazer um momento forte, marcante, dar alguma contribuição a sociedade em geral e a meu ver conseguiram porque foi um programa lindo, emocionante, forte e uma lição de vida, tanto da história da família em questão como também pelo ótimo trabalho realizado pela equipe do programa, mostrando especialmente ao nossos governos que é possível tornar um morro habitável. E pra ser mais sincero ainda eu me emociono muito com a comunidade Dona Marta ou favela Dona Marta toda vez que vejo alguma reportagem. Quando aparece a quadra da favela, hoje um campo de futebol, eu lembro de que há um tempo atrás ali era um palco dominado pelo mundo das drogas, traficantes e muitas vidas eram executadas ali. E hoje ver toda essa comunidade vivendo em paz, longe desse submundo é sempre emocionante.

Pode parecer estranho algo assim em emocionar tanto, pois é um mundo bem distante da minha realidade, não que eu seja rico porque nem sou, mas de certa forma, onde moro é totalmente diferente da realidade de vida do Rio de Janeiro, suas favelas e vida ao estilo carioca. Mas mesmo assim quando comecei a ver o programa, onde Raimunda do Carmo entra no “vou de taxi” com Luciano, fala de sua vida, dos dias piores onde deixava de comer para dar o pouco que tinha a sua filha, é impossível não se emocionar, é como se a vida mostrasse que as vezes reclamamos demais, que nossos problemas são pequenos diante da vida de outras pessoas, é uma forma de aprendizado, de valorização do que se tem e de pensar no seu próximo. E o programa vai ficando mais emocionante e forte, quando Luciano vai a casa dela no morro e vê toda a realidade de vida de Raimunda e seus 3 filhos, Gabriel, Isabela e Ezequiel. Foi nítido toda a emoção do Luciano, pois no mundo dele onde ele tem tudo, ver uma família longe de tudo e sem nada deve ser um contraste enorme, um momento de por a mão na cabeça e pensar “poxa eu comprei sei lá, um carro” e ouço de uma pessoa que o sonho dela era ter uma árvore de Natal em casa pois isso seria como ter um carro, uma vez que para ela não havia condições de comprar uma árvore.

Enfim, com tudo isso acontecendo, o programa me emocionava mais e mais. E com toda essa história Raimunda foi escolhida para participar do quadro Lar Doce Lar. Fez uma prova onde tinha que achar 4 Martas no morro Dona Marta e o bonito disso é o envolvimento de toda a comunidade, da forma de se ajudar, participar. E durante a construção da nova casa, a comunidade ajudou, com os famosos “formiguinhas” subindo e descendo o morro. E o resultado foi uma nova casa linda, com vista para o Botafogo, Pão de Açúcar, algo que essa família que morava num morro, super alto, não possuía. Alem disse você pode imaginar alguém do Rio que nunca tinha ido ao Cristo Redentor? Sendo que tal morro fica ao lado do Cristo? Do morro você vê o Cristo, lá embaixo da avenida que passo em frente a favela você avista o Corcovado e essa família só foi visitar o cartão postal mais famoso do país agora graças ao programa.

Quando a família entra na nova casa, quando vi os 2 meninos chorando, abobados por saírem de uma realidade tão dura e triste e agora receberem uma melhor qualidade de vida, eu chorei junto com eles, fora as cenas da Raimundo vendo a nova cozinha, banheiro, quarto e o seu salão de beleza.

Sinceramente foi lindo, não é a toa que o programa foi especial, onde foi todo dedicado ao Lar Doce Lar, estreando novo horário as 16h. Realmente foi uma contribuição de uma empresa privada mostrando aos governantes e dando a eles idéias de projetos para tornar lugares como o morro Dona Marta mais fáceis e melhores de se viver. Acredito que independente de qualquer coisa, Luciano de sua produção fizeram um ótimo trabalho.

E nós que vivemos longe de uma realidade carioca, de tiros, bandidos, drogas, sem morros ou favelas, na verdade também temos a mesma falta de segurança, talvez em escala menor, mas ainda assim temos isso. E confesso que sempre fui um pouco ressabiado com relação a favelas, era como se fosse um local perigoso composto de bandidos, e eu era mais uma pessoa enganada por essa imagem, pois no morro tem muita gente boa e honesta, na verdade são a maioria e uns poucos tomates podres é que dão a essas comunidades imagens tão ruins. Então fico muito emocionado toda vez que vemos alguém saído de uma favela, de um morro nos dando alguma lição de vida, não que as pessoas sejam perfeitas, mas ser simples e humilde nos dias de hoje é um grande diferencial e é raro, então quando vi Isabela, os meninos e Raimunda chorando ao receber algo que muitas pessoas por aí tem tão facilmente e não dão valor, não há coração que resista. Digam-me, quantas patricinhas e mauricinhos vocês não conhecem por aí? Vivendo em seu mundo fútil, preocupados com horário no salão, shopping, roupa, se compram um par de tênis ou 2, um par de sandálias ou mais, etc… E de repente vemos alguém que tem tão pouco e mesmo assim tem sua dignidade, sua verdade. E uma das coisas mais lindas que ouvi no programa foi quando o Luciano comenta que apesar da vida difícil deles, eles tinham ainda amor, união, carinho e se apoiavam um ao outro, fossem momentos bons ou ruins, eles não se deixavam atingir por nada, mantinham a esperança e o amor, a bondade no coração. Não procuraram caminhos mais fáceis, perigosos, as vezes sem volta, mas sim procuraram uns aos outros, uma mãe dando o melhor exemplo aos filhos sempre, e os filhos cuidando sempre dessa mãe.

Sem dúvida foi lindo, uma lição de vida que me fez pensar em muitas coisas, que mais uma vez nos diz, “vejamos a vida de outra perspectiva, vejamos a vida assim!” É como eu disse, ver um local antes dominado pela guerra e hoje ver as pessoas vivendo em paz e em comunidade se ajudando, tornando um local considerado feio antes, em quase um novo cartão postal da cidade, em um exemplo para demais cidades do país é emocionante. E ver uma família tão simples mas tão rica de sentimentos e valores, é o melhor caminho para ter esperança de dias melhores! Grande programa, grandes emoções, e enfim, é lógico que talvez nem Raimunda ou alguém do programa lerá o que escrevi aqui, mas agradeço ao lindo exemplo que ela me deu e se algum dia eu voltar ao Rio, sem dúvida minha cidade do coração, eu gostaria de ir lá no morro, no salão da Raimunda e cortar o cabelo, e dar um abraço e dizer “obrigado pelo lindo exemplo dado, é disso que nosso país precisa”. Além disso, parabéns a Luciano pelo coração tão sensível ao encontrar uma história tão linda, que com certeza não foi apenas mais uma história a emocionar na tv, mas sim, uma bela mensagem de paz e igualdade entre todos nesse país! Não somos melhor que ninguém e é claro que tudo isso foi feito devido ao dinheiro, mas se esse país tivesse uma distribuição de renda mais justa e governos eficazes, cada brasileiro poderia realizar aos poucos seus sonhos, e não seria precisa um programa de tv fazer isso, mas enquanto o governo não dá condições dignas de vida a esse povo, não dá um salário decente, segurança, escolas e saúde, eu digo parabéns a Luciano e sua equipe por fazer emocionantemente e de forma bem feita o que nosso governo não faz.

Explore posts in the same categories: Opinião

Tags: , , ,

You can comment below, or link to this permanent URL from your own site.

2 Comentários em “LAR DOCE LAR – Caldeirão do Huck 05/12”

  1. mônica Servelin Says:

    Luciano eu amo seu programa,acho vc uma pessoa que realmente se preocupa com as pessoas ,vc tem um grande coração.e esse doce lar foi um dos que mais me emocionou até hoje.Que Deus te abençõe sempre e que vc possa continuar ajudando as pessoas,pois isso é que faz a diferença no seu programa.

  2. markinseries Says:

    ola monica
    aki é o marcos, esse é meu blog, nao foi o luciano quem escreveu
    mas obrigado pelo comentario


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: