V – There is no normal anymore (1×02)

normal7

V retornou com um bom 2º episódio, talvez um pouco distanciado do piloto, onde várias questões religiosas, vários sentimentos e questões terroristas foram abordados, o que senti em “There is no normal anymore” foi mais uma abordagem de desespero e sobrevivência. Eles estão aqui, eles não são pacíficos como dizem ser e agora o que faremos? E o pior, em quem podemos confiar? Quem é humano, quem não é? Foi a maior sensação que o episódio me transmitiu. O mundo não é mais o mesmo e agora não sabemos em quem podemos confiar. Um sentimento de paranóia muito bem demonstrado por Érica foi talvez sobre meu ponto de vista o foco do episódio.

A questão levantada por Erica foi a tentativa de encontrar resistência aos visitantes, encontrar pessoas em quem confiar e tentar criar uma barreira contra os vilões da série. Diferentemente do original onde tínhamos os cientistas e um jornalista criando um grupo de resistência contra os alienígenas, nessa nova versão temos uma agente do FBI porém ainda desconfiada de tudo e todos. E realmente durante todo o episódio eu ficava me perguntando se aquelas pessoas do FBI são todas humanas. A agente que entrevista o padre, o novo colega de trabalho de Erica, pelo que entendi seu chefe, a esposa do ex companheiro de trabalho de Erica, enfim, todos me deixavam pensando, são humanos ou são infiltrados? A idéia deles já estarem entre nós realmente deixou todo um suspense no ar sobre quem é quem.

Em outra ponta do episódio temos Ryan, ainda dividido em continuar com Valerie ou deixá-la. No episódio ele procura um outro “lagardo” desertor que aplica alguma espécie de medicação que cura a cicatriz em seu braço, porém tal desertor sofre da mesma síndrome de desconfiança de Erica, ao suspeitar de Ryan.

O jornalista, Chad Decker, tenta uma cartada de mestre ao trazer a televisão duas frentes opostas, uma aberta aos aliens e outra contra, e embora ele se sinta vitorioso, e de certa forma ajude os invasores convencendo o público da hospitalidade dele, talvez mais pra frente ele se conta da besteira que fez. Mais uma vez vemos o ego de uma pessoa, influenciando diretamente em suas atitudes. Os invasores conseguem apoio diplomático dos Estados Unidos o que favorece a idéia dita por eles mesmos, se os EUA nos seguirem logo demais países farão o mesmo. E isso é bem apresentado ao mostrar Japão, Rússia e Índia desconfiados. A série consegue mostrar bem uma forte diferença global entre países num mundo totalmente globalizado, mas é claro o foco sempre é os EUA.

Tyler continua mentindo para Erica seu interesse pelos invasores e continua empolgado com Lisa e é um dos muitos a se “alistarem” como embaixadores da paz, o que na verdade é mais um recrutamento que gere forte influência sobre os humanos e evite grupos de resistência. O episódio mostra Anna falando com um dos seus companheiros sobre evitar que grupos de resistência apareçam.

No final do episódio o padre Jack resolve se unir a Erica para tentar fazer alguma coisa avisando a todos que eles não são amigáveis. Aliás um amigo me disse o seguinte, “acho que todos que questionam demais são visitantes/invasores” e eu tenho quase certeza que o padre mais velho e  o chefe de Erica são. E até Ryan, Chad, Erica e Jack se cruzarem, a força de resistência caminhará lentamente até ser formada. Realmente o episódio foi bom ao mostrar uma síndrome de desconfiança através de Erica, imagine quando outros souberem o que ela sabe e de certa forma retratou uma síndrome atual, pois num mundo sem segurança, com cidades dominadas pelo tráfico, drogas, casas e edifícios cada vez mais repletos de equipamentos para garantir segurança, de fato vivemos uma síndrome de desconfiança e insegurança, temos acesso a tudo com a tecnologia mas somos prisioneiros desse mesmo mundo atual. E V trazendo aliens que invadem a Terra, segue retratando bem esse toque de recolher que indiretamente vivemos. Acredito ter sido um bom segundo episódio, embora a audiência tenha caido bastante (mais de 3 milhões – 13,94 na premiere x 10,56 milhões no 2º) mas se mantiver esses números a série terá a chance de trabalhar com calma tal idéia. A série pode usar a abusar do suspense, talvez nem precise de mistérios enormes ou extensos, mas ela já possui um bom material para uma ótima partida inicial baseando-se na minisérie dos anos 80.

Explore posts in the same categories: Opinião, V

Tags: , ,

You can comment below, or link to this permanent URL from your own site.

3 Comentários em “V – There is no normal anymore (1×02)”

  1. netiteve Says:

    Nessa nova V, assim como na original, não teremos o festival de novos mistérios. O que é um alívio para os espectadores. Esse efeito Lost já prejudicou muita série, como FlashForward.

    Esse segundo episódio estava muito bom. O Chad foi o destaque, se impondo como uma grande ameaça aos Visitantes.

  2. Rubens Says:

    Espero que a série mantenha a regularidade.
    Um amigo = eu.

  3. markinseries Says:

    realmente foi um bom episódio, revi o primeiro episódio da serie original e ha muitas diferenças. nessa atual a gente fica pensando, sera que é humano, será que é visitante e cria um clima bom de suspense sem precisar de tantos mistérios a cada episódio que as vezes cansam.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: