V – Episódio Piloto (1×01)

snapshot20091104224630

E eles chegaram, os visitantes estão aqui. De um distante 1984 para o ano atual – 2009, a estória de alienígenas que invadem a Terra volta totalmente repaginada com efeitos especiais nem imagináveis naquela década, com um par de protagonistas com carreiras diferentes, mas com a mesma missão, defender a Terra e nós humanos de visitantes que a primeira vista encantam e parecem bonzinhos, mas por trás dessa máscara querem tomar nosso lar. E o que mais me chamou atenção nessa premiere não foi o lado de ficção cientifica e sim o lado mais realista, se atualizando com temas que estão em foco no nosso dia a dia e em nossa realidade, promovendo diversas reflexões a respeito.

O episódio começa com o dia a dia de diversos personagens quando em alguns minutos toda a humanidade vive um momento histórico, o primeiro contato com seres alienígenas. Certamente a primeira impressão foi de medo, pavor mas aos poucos grande parte da população é tomada por um sentimento de esperança e devoção. Arriscados sentimentos e fatais para nosso destino. No mundo atual, cercado de tecnologia e inúmeras facilidades, o que é um lado bom desses dias que vivemos, tudo tem um preço e hoje em dia não temos mais a segurança de anos atrás, a saúde não é mais a mesma já que a vida moderna é intensa e gera muito stress, e com tudo isso nos tornamos frágeis, vivendo na esperança de dias melhores, de uma salvação quando no fundo pouco fazemos para isso. Todos querem um mundo melhor, mas a realidade é que poucos têm muito e muitos têm pouco e os que detêm posse maior, poucos se interessam em dividir ou ajudar o próximo.

As relações de amizade lutam para sobreviver, as relações amorosas sofrem um caos, e o ser humano trava uma batalha de desespero e esperança e então quando surgem visitante promovendo curas milagrosas e tecnologia mais avançada do que a nossa, tudo isso soa como um milagre, como se alguém viesse nos salvar. Mas tudo tem um custo e será que a humanidade está disposta a pagar com a própria vida por pequenos momentos de ilusão e devoção?

O episódio foca bem a diferença entre gratidão a alguém e devoção e sentimentos que deveriam ser belos, se tornam a maior isca para os visitantes nos dominarem. No início quando uma nave gigantesca chega causando o terror em NY e eis que então a líder dos visitantes se apresenta como pacífica promovendo tranqüilidade bastou para nós humanos sermos facilmente enganados. Será ingenuidade ou desespero? Anna, a líder dos Vs, vai conseguindo manter seu plano de mostrar-se como um povo pacífico a medida que consegue através da ganância e fácil corrupção de um jornalista, dar entrevistas nas quais que apresentem-se como um povo amigável. Logicamente o jornalista ao final se sente usado e enganado.

Além dele, conhecemos um outro personagem que já é um dos visitantes, mas conhecido como desertores, por não compactuarem com o real plano dessa invasão. E quando descobrimos isso o episódio nos dá talvez a cena mais importante, onde o padre, a agente da FBI descobrem que os visitantes não são humanos e sim répteis que clonam a pele humana e no fundo querem nosso planeta. Essa cena intercalada com a entrevista de Anna mostra bem a realidade por trás da mentira. E a cena final quando o filho da agente de FBI se junta aos visitantes, numa espécie de missão de paz que no fundo tem como meta q recrutar humanos para o lado deles e domina-los, e o padre e a agente se deparam conversando sobre montar um “exército” de defesa da humanidade, foi outra cena muito bem intercalada, dando ênfase maior ao drama da série. E a agente menciona bem, que eles tem uma vantagem, pois já possuem a devoção humana. Algo que o padre havia citado com o outro padre na igreja.

Enfim, temas interessantes, como o fato da igreja católica se posicionar a favor dos visitantes, provavelmente mostrando a questão da igreja que perde fiéis em intimamente usar isso para aproximar seus fiéis novamente, além da forte questão citada onde o padre diz sobre a igreja aceitar que Deus colocou outros humanos no espaço e eu pensei se somos criados a imagem e semelhança de Deus, haveriam outras espécies criadas por Ele no espaço, não a sua semelhança? A questão atual do terrorismo abordada ao mostrar um visitante terrorista, um imenso pavor desde aquele dia 11 de setembro de 2001 também são talvez o elemento mais de base da série. Fora isso, a questão de sentimentos, a visão da vinda dos alienígenas como se fossem o novo “Salvador” tem forte ligação religiosa, a ingenuidade humana em acreditar facilmente neles, a briga de dramas pessoais sejam na ganância, raiva, empolgação que levaram alguns a seguirem os visitantes, mostra bem o quanto as pessoas por mais perfeitas que tentem ser acabam se levando as vezes pelos sentimentos mais deturpantes da personalidade humana e a questão da água, quando vivemos séries problemas ambientais e muito se fala da água ser motivo de guerras um dia, foi levemente abordada no episódio.

Considerei um episódio de análises profundas do ser humano em sua essência assim como de um conjunto global de atitudes. Segundo os visitantes, eles não são divididos em países, acentuando a diferença quando nós somos e temos imensas diferenças entre países, costumes e línguas. Alem da divisão econômica em países ricos e pobres. Não sei se a série seguirá abordando tais temas ou se cairá logo na luta entre humanos e visitantes, mas muito mais que os efeitos, ou mesmo a história de ficção em si, foram essas sublinhas que chamaram a atenção.

Eu não sei se esperavam mais ação do episódio ou menos situações clichês como a questão mãe e filho, vivida por Mitchell no episódio, mas mesmo talvez não sendo um episódio tão marcante ou devastador, considerei um bom começo. Lembro pouca coisa da série original então fica difícil fazer comparações. Gostei de ver Elisabeth Mitchell num personagem “normal” fugindo daquelas piras propostas em Lost, mas o lance FBI me levou a série policiais/criminais que definitivamente não me agradam, a não ser Cold Case, então as cenas de FBI não me motivaram. Mas foi um bom episódio, não vibrei tanto como talvez muitos vibraram, porque já sei da história, mas acredito que novidades nessa versão serão acrescidas em consideração a original e a série chamou minha atenção levemente, então vou continuar assistindo. Ah e ver o lindo Rio de Janeiro não tem preço, hehe. Ah outro detalhe, a menão de Independence Day foi perfeita, com uma invasão alienígena, a primeira lembrança de qualquer ser humano seria esse filme.

Questões fortes e verdadeiras, mostradas via ficção, mostrando acima de tudo como o poder é algo perigoso e mais perigoso ainda quando pessoas são tão facilmente influenciadas, sejam por um pastor ou um mau político, etc. Talvez isso deixe a mensagem que o maior perigo não vem lá de fora ou de terroristas, ou do seu vizinho, mas sim do próprio ser humano, o vizinho, você e o desconhecido que passa na rua, seres humanos frágeis e sem imunidades as suas próprias falhas de caráter, que quando usadas com sabedoria podem ser bem aproveitadas e levar a destruição. Porém gosto de acreditar que isso é uma minoria, e que há mais bons por aí, e provavelmente o time a ser montado em defesa da Terra, mostrará melhor o que um ser humano é verdade.

Explore posts in the same categories: Opinião, V

Tags: , , , , ,

You can comment below, or link to this permanent URL from your own site.

4 Comentários em “V – Episódio Piloto (1×01)”

  1. Daniel Salvador Says:

    Aeee Markinho…Primeiro post aki!Hehehehheeh

    Bem,a estréia da série não foi tão interessante quanto eu esperava,mas como em outras séries em que as coisas vão melhorando no desenrolar da trama,acredito que pode ficar melhor sim!Ahh sentii um clima de “Lost” nessa série!Hehehehehe

    =D

  2. markinseries Says:

    Entao, realmente aconteceu tudo rapido no episodio. Eu nao lembro mais da original, que primeiro foi uma miniserie e depois virou uma serie, nem sei ao todo quantos capitulos foram da miniserie. Li em algum site que o showrunner ja abandonou o show e que parecem que eles estao com problemas em roteiros devido a ja terem usados os elementos só da miniserie. Enfim interessante, qdo criança e vi serie achava legal, hoje em dia sci ja nao me atrai, daí series de ficção cientifica raramente me atraem. Com V nao foi diferente, quero continuar vendo, mas nao éo tipo de serie que me atrai nao.

  3. netiteve Says:

    V é importante na ficção científica porque foi uma série engajada. A Sci-Fi é a melhor maneira criada pelos escritores para discutir sobre a humanidade. Em nenhum outro gênero o Homem é tão exposto em suas atitudes e pensamentos.

    Nesse remake creio que seguirão o mesmo caminho, mesmo com a tentação dos novos efeitos especias e uma modificação radical em vários elementos da história. O foco não irá se perder.

    Mas é verdade que precisarão criar muita coisa nova, porque da trama antiga não dá pra fazer nem meia temporada, principalmente com a velocidade de informações já usadas no piloto. Muito do que se viu só aconteceria em episódios seguitens.

  4. markinseries Says:

    Ola. Obrigado pelo comentário. Eu não lembro muita coisa da minisérie nem quantos capítulos foram ao todo,tbem nao lembro se as informações mostradas nesse piloto demoraram mais a aparecer na original. Mas acredito tbem que eles precisarão criar muita coisa nova para sustentar uma temporada toda.
    Obrigado pelo comentário.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: