BROTHERS & SISTERS – From France with love (4×04)

post

Honestamente não sei o que dizer sobre esse episódio de Brothers & Sisters, porque ainda estou com lágrimas nos olhos. Eu não esperava muito, quando vi promo imaginei algo sobre Sarah, focado mais nela e distante das demais histórias e no fim me surpreendeu os rumos tomados. Como eu disse na resenha anterior, o drama de Kitty não me acertou em cheio e não considerei uma grande idéia, uma vez que ela não corre riscos de verdade, mas a verdade é que apesar disso, e quando se trata desse tema, o qual Kitty está passando, é meio impossível não se comover. E foi de fato um ótimo episódio, Robert me comovendo demais, Sarah me deixando nocauteado, Justin progredindo, e a série só ganhando com tudo isso.

Nem sei por onde começar, ainda estou impressionado. Robert e Kitty, mais precisamente Robert me surpreendeu hoje. O homem ambicioso, que não via nada na frente além da política e sua carreira, hoje me pareceu um menino assustado, que levou um duro golpe da vida e quem sabe acordou pra realidade. A posição dele, meio apagado deixando a campanha de lado, não se importando com nada mais além de Kitty, a sua postura não querendo usar a doença da mulher, tudo isso me deu uma nova visão de Robert. As pessoas mudam, e ao contrário do que pensamos ou que eu pense, pois sempre achei que mudam pra pior, as vezes podem surpreende e mudar para muito melhor. Até fiquei com raiva da postura de Kevin, tão preocupado com a campanha e Robert dando uma dura nele. E eis que ao fim de tudo, Kitty resolve se pronunciar a favor do marido para ajudá-lo. A cena deles foi muito bonita, quando ele diz que talvez não seja mais aquele homem, que se sente devendo algo a Kitty, que percebeu que ela é a coisa mais importante, e a medida que ele ia dizendo isso, meus olhos se enchiam de lágrimas, e Kitty arrumando forças sabe-se Deus da onde, manda ele continuar lutando por sua campanha, manda ele não desistir, pois ela precisa disso. Muito comovente!

Sobre Kitty, a cena dela chorando com Nora, foi linda. As cenas com Sarah na primeira sessão de quimio também foram muito bacanas, com Sarah contando sobre seu clichê amor francês. E sobre a decisão de Kitty em querer que Robert não pare sua vida, que continua a campanha, é compreensível, como ela disse “ e se eu morrer, o que sobra para ele?”, acredito que essa frase diz tudo. Eu já havia mencionado no texto passado que essa doença por mais que não queiramos para tudo, simplesmente faz o relógio parar e por mais que queiramos continuar levando uma vida normal, essa vida só voltará a ser normal quando tudo isso acabar. Entendo perfeitamente a posição de Kitty, assim como entendo a de Robert. É algo dificílimo de ser analisado. Largar tudo e ficar incondicionalmente ao lado da mulher? Continuar com tudo quando esse tudo não importa mais no momento, a não ser a cura de sua mulher? Ou do lado dela, fingir que tudo deve ser continuado e deixar um pouco menos estimado o drama que vive? Uma vez que é quase impossível diminuir o tamanho disso. Enfim, deve-se continuar vivendo, por muitas vezes fingindo uma vida normal, mesmo sabendo que nosso coração está em pedaços, dilacerado, que os olhos fazem de tudo para não chorar, e esse “fingimento” de vida normal, nesse momento será denominado de esperança. Não há como parar tudo, não há como continuar com tudo, e nessa situação fora do normal, só existe algo chamado esperança!

Justin progredindo muito no seu curso de medicina. Gostei das cenas dele, comovente e totalmente dentro do normal, ele se interessar por oncologia. Grande a cena do professor conversando com Justin, me fez pensar no real papel de um educador dizendo as coisas certas para um estudante e mostrando a ele todo seu potencial e o que é o melhor a ser feito. Em outra ponta do episódio, gostei da leveza e tranqüilidade com que Rebecca e Justin resolvem suas questões, sem muito drama ou complicações. As cenas de Rebecca com Norah foram legais, fazia tempo que sentia falta de vê-las juntas em cena. Rebecca e Holly discutindo, ainda mais na frente de Nora foi mega divertido, mostrou que não são apenas os Walkers que têm seus problemas para decidirem coisas juntos. E Rebecca tem uma idéia totalmente inusitada para seu casamento, casar-se no Havaí. Fala sério, quem nao iria querer um casamento lá? E ela e Justin dançando ula-ula, uau, mostrou toda a afinidade na relação que aos poucos eles vão construindo.

E Sarah, um namorado francês? Com direito a toda uma love story por trás? Uma paisagem bonita, um charme declarado do cara por ela, fazendo até tipo que não entendia inglês. E tem mais, o cara faz pinturas, vinho ao ar livre, total sedução e pinta de o cara perfeito, e Sarah toda derretida por ele? Tudo clichê?? Sim, clichê total!!! Mas depois de tudo o que Sarah passou, fala sério cara, ela não merecia um clichê desses? Vão me dizer que 100% das mulheres que viram esse episódio não adoraram isso? Foi clichê? Foi!! Foi cena de filme romântico? Foi! Isso acontece na vida real? Nãoooooooooooooo.. Mas vai dizer que não gostou disso? Ou melhor, vai dizer que Sarah não estava merecendo um novo parceiro com direito a tudo isso? Powww, foi demais! E em todo esse romance clichê, sabe o que considerei mais interessante? Não na forma que foi contado a história dela, mas onde foi contada, no momento certo para amenizar o sofrimento de Kitty. Sarah arruma forças sabe-se de onde para aliviar o medo e tristeza da irmã. Achei lindo isso! E onde a história de Sarah me pegou de verdade, não foi quando ela começou a contá-la e muito menos quando tudo pareceu ilusão (Kitty associa o romance de Sarah a um filme, e vemos que o cara tinha supostamente enganado Sarah, caindo num novo clichê, onde ele era bom demais pra ser verdade e sairia de cena como um conquistador). A história de Sarah, que até então achei que ela inventou para agradar a irmã, me pegou de verdade quando descobrimos que o cara não tinha enganado ela, saindo do clichê previsível mas sim quando a vida real toma conta de bons momentos, pois Sarah não voltou da França rapidamente porque o cara aprontou com ela, e sim voltou porque soube da doença da irmã. Sinceramente, essa cena pra mim foi a mais linda do episódio! Eu não esperava por essa cena, talvez alguém possa ter percebido que terminaria assim, que o motivo do retorno de Sarah teria sido Kitty, mas a essa altura do episódio me envolvi tanto que fui totalmente surpreendido! E como Sarah merece todos os clichês romanescos do mundo, o cara aparece batendo na sua porta no fim do episódio!

A doença de Kitty não era pra me comover, justamente por ser com Kitty, não que eu não goste dela, mas pelo fato dela ser protagonista, mas e vou abusar do mas, esse episódio, do qual não esperava muito, trouxe cenas lindas, marcantes. Não há uma receita de como as pessoas devem viver em meio essa doença, nem quem infelizmente a tem, nem os familiares atingidos por ela. Deus não dá um manual de como viver com câncer, e é até difícil descrever um momento desses. Mas nesse episódio percebemos que há de continuar lutando, vivendo, deixando de lados coisas que amamos, apoiando quem amamos, tomando decisões difíceis que jamais pensaríamos em tomar, afinal das contas quem diria que Kitty ia implorar pra Robert não desistir da candidatura, e quem diria que ele estaria totalmente desmotivado a ela. E é isso, as pessoas mudam conforme os acontecimentos da vida os brigam a mudar, porque na maioria das vezes, você continuaria a ser o mesmo, e são esses baques da vida que promovem mudanças, que nos fazem ser quem jamais pensaríamos ser. A dor como dizem, por pior que seja, ensina, empurra pra frente muitas vezes, assim como as vezes derruba e daí que vem a mudança, a hora de se levantar, seja sozinho ou com alguém lhe dando a mão, mas mudando para então continuar vivendo.

From France with love não foi apenas do amor de uma mulher por um homem ou vice-versa, ou mais uma história de amor com cenário romântico francês. From France with love falou de outro tipo de amor, de um amor generoso, condescendente, de renúncia por algo maior, foi amor de irmão por irmão, de família, de largar tudo por aqueles que por vezes por mais que não entendamos bem ou que não nos entendam, ou que hajam diferenças, brigas, mas acima de tudo continuam sendo nosso sangue, nosso irmão, nossa família e é geralmente pra onde corremos e nos acolhemos quando a vida nos apronta daquelas. From France with love foi ver alguém voltando, deixando um amor recém descoberto pra trás, por um outro tipo de amor, diferente, mas que também é amor, e sempre esteve presente.

Explore posts in the same categories: Brothers And Sisters, Opinião

Tags: , ,

You can comment below, or link to this permanent URL from your own site.

8 Comentários em “BROTHERS & SISTERS – From France with love (4×04)”

  1. Allan Says:

    Nossa, cada episódio que eu vejo de Brothers and Sister me deixa mais e mais extasiado.
    Uma coisa que eu acho: o seriado tem explorado muitos dramas comuns do ser humano, inclusive como um câncer mexe com a estrutura familiar, mesmo sendo ele não fatal. Quem convive com isso sabe…..

    • markinseries Says:

      por isso que gosto de BS, retrata sentimentos humano, a vida humana.. todos com seus defeitos e qualidades..
      obrigado por passar por aqui e ler o post. abs

  2. Ligiane Says:

    Olá!

    Adorei seu post!!! Sua forma de escrever nos faz imaginar cada cena do episódio e nos emocionar novamente…
    Parabéns!

    • markinseries Says:

      Poxa, fico feliz com suas palavras. Obrigado Ligiane. Gosto muito de escrever, mas tem dias que não sai nada, preciso que o que assisto desperte alguma emoção, dae até sai alguma coisa.
      Mas obrigado viu, e volte sempre, ah indique para amigos hehehe

  3. Lee Says:

    Markinho escreve super bem mesmo🙂

    eu nem acompanho essa série, mas só de ler os post fico com vontade de ver *_*

  4. Tatto Says:

    episódio fantásticoooooo
    B&S tava precisando de mais epis assim..
    essa temporada voltou fracaaaa..
    mais epi pra mim foi ótimo!


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: